Postagem em destaque

Casamento Real

O Príncipe Harry e a atriz norte-americana Meghan Markle casaram-se neste sábado (19) na Capela de São Jorge, no castelo de Windsor. Co...

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Casamento Real


O Príncipe Harry e a atriz norte-americana Meghan Markle casaram-se neste sábado (19) na Capela de São Jorge, no castelo de Windsor. Com isso, Meghan é a mais nova plebeia a ser tornar membro da realeza britânica, concretizando o enlace que nas últimas semanas tomou conta do noticiário no mundo todo. Lotada de celebridades, a emocionante cerimônia misturou elementos tradicionais e modernos. O arcebispo de Canterbury, Justin Welby, líder espiritual da Igreja Anglicana, tomou os votos matrimoniais dos noivos, que passaram grande parte da cerimônia de mãos dadas. Michael Curry, o bispo presidente da Igreja Episcopal dos EUA, fez um sermão sobre o amor e citou ativista negro Martin Luther King. A entrada da noiva Após a polêmica provocada pela ausência de seu pai Thomas Markle, Meghan entrou sozinha na capela, acompanhada por dez crianças que fizeram pares de damas de honra e pajens, entre eles o príncipe George e a princesa Charlotte, filhos do príncipe William e de Kate Middleton. O pai de Meghan passou por uma cirurgia no coração recentemente. A alegação médica foi dada depois que Thomas ganhou destaque nos jornais ao ser descoberto por aceitar ser fotografado por um paparazzo em troca de dinheiro. Com a ausência de Thomas, o príncipe Charles – pai de Harry e William – levou Meghan até o altar. Ela deu o braço ao sogro, o príncipe Charles, apenas nos metros finais. Seguindo a tradição iniciada com a princesa Diana, em 1981, Meghan decidiu não pronunciar a palavra "obedecer" dos tradicionais votos de casamento. Em inglês, os votos tradicionais para a mulher costumam citar "love, cherish and obey" (amar, cuidar e obedecer, em português). Meghan disse apenas "love and cherish" (amar e cuidar). Isso já é comum em casamentos no Reino Unido, mas, em relação à família real, a escolha pode ser considerada moderna. Feminista, Meghan defende a igualdade de direitos entre homens e mulheres e é representante da ONU Mulheres, braço da Organização das Nações Unidas para a promoção da igualdade de gênero. Formada em comunicação, ela também manteve por três anos um blog de estilo de vida chamado "The Tig", dedicado a assuntos femininos.

domingo, 20 de maio de 2018

Qual é o significado do Ramadã?


Hossein Kamaly é um professor do Barnard College especializado em estudos islâmicos e história do Oriente Médio. Nesta entrevista, ele explica os preceitos básicos do Ramadã, o mês mais sagrado do calendário muçulmano, que começou nesta segunda-feira (6) para a maioria dos muçulmanos do mundo. A entrevista foi editada e condensada. P.: Qual é o significado do Ramadã? Qual é o evento observado? R.:Todos os dias podem ser iguais em um calendário secular, mas nos calendários religiosos, não: alguns são mais iguais que outros. No calendário muçulmano, o mês inteiro de Ramadã, o nono mês do calendário lunar árabe, marca a mais especial de todas as ocasiões. É a comemoração da descida da palavra de Deus, o Corão, do céu à terra. Durante o Ramadã, os portões do paraíso estão mais abertos que nunca. Assim como a palavra de Deus desceu, a palavra dos suplicantes sobe até Deus, de maneira mais eficaz que em outros momentos. P.: O jejum durante o Ramadã é um dos Cinco Pilares do islamismo. Por que se abster de comida e bebida e de outros prazeres do corpo é um elemento crucial da observância? Qual é o significado espiritual do jejum? R.:Para compartilhar as bênçãos do mês do Ramadã, as mulheres e os homens fisicamente capazes, e também meninas e meninos que atingiram a idade da observância religiosa, devem jejuar durante este mês. Como prescrito no Corão, o jejum diário começa antes de o sol nascer e termina ao pôr-do-sol. Os que não conseguem abandonar a comida e a bebida, por causa da idade, de doença ou outros motivos, são isentos do jejum, mas ainda podem compartilhar as bênçãos deste mês. P.: Além de jejuar, quais são algumas das outras maneiras como este mês é honrado pelos fiéis? R.:O Ramadã é mais que a abstinência de comida e bebida durante as horas do dia. É um momento de contemplação, devoção e lembrança de Deus, especialmente pela leitura e a recitação do Corão. Cuidar do bem-estar dos membros menos afortunados da comunidade, dar aos pobres --especialmente no final do mês-- também é importante. A intensa autorreflexão e maior consciência de Deus durante o mês do Ramadã se destinam e subjugar e suprimir os erros comuns, como maledicência, ressentimento e mentira. Uma das características mais importantes do mês do Ramadã é conhecida como a Noite do Destino, Noite do Poder ou Noite do Decreto: "Laylat al-Qadr", em árabe. O Corão diz que nessa noite especial anjos descem do céu --principalmente o arcanjo Gabriel--, trazendo ao mundo a paz e a presença divinas. Não é definido exatamente qual noite do Ramadã pode ser a Noite do Destino; portanto, todas as noites devem ser tratadas como uma possível candidata. P.: Há variações importantes no modo como o Ramadã é observado? R.: As observâncias do mês do Ramadã podem variar em forma e conteúdo de uma comunidade para outra. Por exemplo, os muçulmanos xiitas esperam até que os sinais do entardecer se dissipem no horizonte antes de quebrar o jejum, ou "iftar" em árabe, o que pode ser alguns minutos depois da maioria dos muçulmanos sunitas. Uma variação importante, especialmente nos EUA, é receber os não muçulmanos aos "iftars". Aqui são alguns trechos da entrevista do professor Hossein Kamaly, traduzida especialmente por Luiz Roberto Mendes Gonçalves

sábado, 19 de maio de 2018

Copa do Mundo de 2006 - Alemanha


A Alemanha, que havia organizado a Copa do Mundo de 1974 na Alemanha Ocidental, agora voltava a sediá-la como país unificado. Os alemães, que são uma potência econômica, fizeram uma Copa do Mundo rica, como estádios modernos e alto investimento. Em campo destacaram-se os europeus, com a Itália tetracampeã, França em segundo, Alemanha em terceiro e Portugal em quarto. Os anfitriões alemães, que começaram a competição desacreditados, tiveram uma campanha empolgante que entusiasmou seus torcedores apesar de não conquistar o título. O craque francês Zinedine Zidane brilhou mais uma vez, chegou a mais uma final de Copa do Mundo e foi eleito o melhor jogador da competição, apesar da sua expulsão bizarra no jogo final. Quem também brilhou foi Portugal, comandada pelo técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari, chegando a uma semi-final depois de 40 anos. A grande decepção foi a seleção brasileira, que era uma das favoritas, mas teve desempenho apático e foi eliminada nas quartas-de-final. Participação do Brasil na Copa do Mundo 2006 Depois de uma brilhante participação na Copa das Confederações em 2005 o Brasil foi para a Copa do Mundo 2006 como um dos favoritos. Esperava-se da seleção brasileira uma futebol bonito e envolvente, mas o que se viu foi um time apático e apagado com alguns jogadores fora de forma, como Ronaldo Fenômeno visivelmente acima do peso. Na primeira fase o Brasil passou com 4 vitórias: 1x0 Croácia, 2x0 Austrália e 4x1 Japão. Nas oitavas-de-final os brasileiros se classificaram com 3x0 sobre Gana. Já nas quartas-de-final a seleção brasileira foi totalmente dominada pela França e perdeu por 1x0. O gol francês saiu de uma cobrança de falta, na qual cada brasileiro marcou um adversário, exceto Roberto Carlos que ficou de cócoras ajeitando a meia e deixando Henry livre para marcar. Os campeões da Copa do Mundo 2006 Em uma Copa do Mundo na qual se destacou o futebol europeu, venceu o jogo típico da Itália de forte marcação e eficiência. Com uma defesa forte, a Itália também contou com o goleiro Gianluigi Buffon em ótima fase. A Itália chegou na final com a França com os seguintes resultados: 2x0 Gana, 1x1 EUA, 2x0 República Tcheca (1a fase), 1x0 Austrália, 3x0 Ucrânia e 2x0 Alemanha. O título foi conseguido com vitória sobre a França nos pênaltis por 5x3, depois de empate de 1x1 no tempo normal e prorrogação. Tabela e jogos da Copa do Mundo 2006 Primeira fase: Grupo A - 1o Alemanha, 2o Equador, 3o Polônia, 4o Costa Rica. Grupo B - 1o Inglaterra, 2o Suécia, 3o Paraguai, 4o Trinidad e Tobago. Grupo C - 1o Argentina, 2o Holanda, 3o Costa do Marfim, 4o Sérvia e Montenegro. Grupo D - 1o Portugal, 2o México, 3o Angola, 4o Irã. Grupo E - 1o Itália, 2o Gana, 3o República Tcheca, 4o Estados Unidos Grupo F - 1o Brasil, 2o Austrália, 3o Croácia, 4o Japão. Grupo G - 1o Suíça, 2o França, 3o Coréia do Sul, 4o Togo. Grupo H - 1o Espanha, 2o Ucrânia, 3o Tunísia, 4o Arábia Saudita. Oitavas-de-final: Alemanha 2x0 Suécia Argentina 2x1 México Itália 1x0 Austrália Ucrânia 0x0 Suíça (3x0 nos pênaltis) Inglaterra 1x0 Equador Portugal 1x0 Holanda Brasil 3x0 Gana França 3x1 Espanha Quartas-de-final: Alemanha 1x1 Argentina (4x2 nos pênaltis) Itália 3x0 Ucrânia Portugal 0x0 Inglaterra (3x1 nos pênaltis) França 1x0 Brasil Semi-finais: Itália 2x0 Alemanha França 1x0 Portugal 3o Lugar Alemanha 3x1 Portugal Final: Itália 1x1 França (5x3 nos pênaltis) Curiosidades da Copa do Mundo 2006 Uma das grandes polêmicas da Copa do Mundo de 2006 foi o peso de Ronaldo Fenômeno. Estaria ele gordo? Apesar de visivelmente pesado, Ronaldo negava veemente que estava gordo, e ficava irritado quando questionavam seu peso. O peso de Ronaldo foi mantido em segredo durante a Copa do Mundo. O que chamou atenção nessa copa a pessima preparação da seleçao Brasileira envolvida no ja ganhou fora de campo, um jogador que foi protagonista de uma perda de copa em 1998 na frança,Ronaldo fenômino ganhou 2002 e achou que nao precisava mais fazer nada pelo brasil,com suas inrreverentes respostas, Ronaldo que ja ajudou a perder e quando ganhou devia lembrar:Você Ronaldo nao fez mais que a obrigaçao, outros personagens como Roberto Carlos esquecendo de disputaro lance que tirou nos da copa, do senvergonha do Felipão que deixou o Brasil pra treinar Portugal ali estava no auge, esses personagens anos depois vc podem avalia los melhor, pra mim péssimos todos eles.

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Porque a guerra no Oriente Medio


O reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel pelos Estados Unidos e a transferência da embaixada americana de Tel Aviv para a cidade, concretizada nesta segunda-feira, foram o estopim dos confrontos mais mortíferos registrados entre israelenses e palestinos desde 2014. Autoridades palestinas condenaram o que chamaram de um "massacre" cometido por forças israelenses, acusadas de matar pelo menos 58 manifestantes e deixar 2,7 mil feridos, enquanto o governo de Israel afirmou estar se defendendo de 40 mil palestinos que participavam de "atos de vandalismo violentos" e tentavam romper a cerca de segurança que demarca seu território na Faixa de Gaza. O presidente americano, Donald Trump, celebrou a medida em um pronunciamento. "Israel é uma nação soberana que tem o direito de determinar qual é sua capital, mas nós falhamos por muito tempo em reconhecer o óbvio", declarou Trump. Segundo ele, os Estados Unidos continuam "comprometidos em viabilizar um acordo de paz duradouro". Por sua vez, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, descreveu a decisão de Trump como o "tapa na cara do século" e disse que os Estados Unidos não são mais considerados por ele como um "mediador do conflito no Oriente Médio". não.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Tite anuncia os 23 convocados


Alisson. Ederson. Cássio. Danilo. Fagner. Marcelo. Filipe Luís. Miranda. Marquinhos. Thiago Silva. Geromel. Casemiro. Fernandinho. Paulinho. Renato Augusto. Fred. Philippe Coutinho. Willian. Neymar. Douglas Costa. Gabriel Jesus. Roberto Firmino. Taison. É para esse grupo de 23 jogadores que o brasileiro terá de torcer, é por eles que os dedos serão cruzados e as orações feitas entre 14 de junho e 15 de julho. São os nomes deles que serão estampados nas camisas dos fanáticos. São eles os escolhidos por Tite para tentarem o hexacampeonato na Copa do Mundo, na Rússia. mais detalhes em:deolhonajogada.blogspot.com

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Copa do Mundo de 2002 - Japão e Coréia do Sul


Em 2002 pela primeira vez a Copa do Mundo de futebol foi disputada no continente asiática. Esta também foi a primeira vez que a organização da Copa do Mundo foi dividida por dois países: Japão e Coréia do Sul. Essas duas potências econômicas e tecnológicas asiáticas organizaram uma Copa do Mundo de primeiro nível. Em campo, brilhou a seleção brasileira que conquistou sua quinta Copa do Mundo. A desacreditada Alemanha acabou conseguindo chegar até a final em grande parte graças às defesas do seu goleiro Oliver Kahn, surpreendentemente eleito o melhor jogador da competição ao invés dos brasileiro Rivaldo ou Ronaldo. Outro destaque foram os anfitriões sul-coreanos, apesar das arbitragens polêmicas, que ficaram na quarta colocação. Surpresa também para a seleção da Turquia, terceira colocada. Em uma Copa do Mundo de surpresas, as favoritas França e Argentina foram eliminadas na primeira fase. Participação do Brasil na Copa do Mundo 2002 A seleção brasileira, depois de vários anos conturbados e uma difícil eliminatória, teve uma participação brilhante na Copa do Mundo 2002 do Japão e Coréia do Sul. Na primeira fase o Brasil se classificou logo nos 2 primeiros jogos com vitórias de 2x1 sobre a Turquia e 4x0 sobre a China. No último jogo da primeira fase o Brasil com vários reservas venceu com boa atuação a Costa Rica por 5x2. Era o estilo “família Felipão”, com o técnico Luiz Felipe Scolari colocando todos os jogadores para atuar. Na oitavas-de-final o Brasil bateu a Bélgica por 2x0. Já nas quartas-de-final um clássico contra a Inglaterra vencido por 2x1. Nesse jogo Ronaldinho Gaúcho, que teve uma ótima participação, foi expulso, desfalcando a seleção na semi-final. O adversário da semi-final foi a Turquia. Sem Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo teve que atuar mais recuado, e não teve a excelente performance dos jogos anteriores. O resultado foi um jogo difícil com vitória de 1x0 para o Brasil. Na final a confiante seleção brasileira enfrentou os grandes rivais alemães e sagrou-se pentacampeã com vitória de 2x0, gols de Ronaldo. Os campeões da Copa do Mundo 2002 A seleção brasileira pentacampeã atuou com o esquema 3-5-2 que deu bastante segurança à defesa ajudada pela ótima fase do goleiro Marcos. No ataque brilharam Ronaldo Fenômeno, artilheiro da Copa do Mundo, e Rivaldo, melhor jogador brasileiro na competição. Uma deficiência era a ligação entre a defesa e o ataque, que ficava concentrada em Ronaldinho Gaúcho. Além de vencer, a seleção brasileira teve o mérito de apresentar um futebol alegre e bonito, bem diferente da criticada conquista de 1994. Tabela e jogos da Copa do Mundo 2002 Primeira fase: Grupo A - 1o Dinamarca 2o Senegal, 3o Uruguai, 4o França. Grupo B - 1o Espanha, 2o Paraguai, 3o África do Sul, 4o Eslovênia. Grupo C - 1o Brasil, 2o Turquia, 3o Costa Rica, 4o China. Grupo D - 1o Coréia do Sul, 2o Estados Unidos, 3o Portugal, 4o Polônia. Grupo E - 1o Alemanha, 2o Irlanda, 3o Camarões, 4o Arábia Saudita. Grupo F - 1o Suécia, 2o Inglaterra, 3o Argentina, 4o Nigéria. Grupo G - 1o México, 2o Itália, 3o Croácia, 4o Equador. Grupo H - 1o Japão, 2o Bélgica, 3o Rússia, 4o Tunísia. Oitavas-de-final: Alemanha 1x0 Paraguai EUA 2x0 México Espanha 1x1 Irlanda (3x2 nos pênaltis) Coréia do Sul 2x1 Itália Inglaterra 3x0 Dinamarca Brasil 2x0 Bélgica Senegal 2x1 Suécia Turquia 1x0 Japão Quartas-de-final: Alemanha 1x0 Estados Unidos Coréia do Sul 0x0 Espanha (5x3 nos pênaltis) Brasil 2x1 Inglaterra Turquia 1x0 Senegal Semi-finais: Alemanha 1x0 Coréia do Sul Brasil 1x0 Turquia 3o Lugar Turquia 3x2 Coréia do Sul Final: Brasil 2x0 Alemanha Curiosidades da Copa do Mundo 2002 Em uma Copa do Mundo de surpresas, a escolha do melhor jogador do mundo foi mais uma delas. Quando todos esperavam que o eleito fosse ou o brasileiro Ronaldo ou Rivaldo, eis que o goleiro Oliver Kahn, que tomou 2 gols de Ronaldo na final, é escolhido o melhor da Copa do Mundo. Um dos motivos apontados para escolha bizarra diante do triunfo brasileiro sobre os alemães é que a eleição terminou antes do jogo final. Depois disso, a eleição do melhor jogador da Copa do Mundo passou a acontecer depois da final.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Miguel Falabella


Nome completo Miguel Falabella de Sousa Aguiar Nascimento 10 de outubro de 1956 (61 anos) Rio de Janeiro, RJ Nacionalidade brasileira Cônjuge Zaira Zambelli (1985-1988) Ocupação Ator, cineasta, escritor, apresentador, novelista, dramaturgo, roteirista, diretor teatral e humorista Principais trabalhos Caco Antibes em Sai de Baixo (1996-2002, 2013) Donato de Castro Menezes em As Noivas de Copacabana (1992) Raul Toledo em A Viagem (1994) Mauro Alcântara Prates em Cara & Coroa (1995) Miro em Selva de Pedra (1986) Mário Jorge Dassoin em Toma Lá, Dá Cá (2005, 2007-2009) Gedivan Pereira (Ruço) em Pé na Cova (2013-2016) Miguel Falabella de Sousa Aguiar (Rio de Janeiro, 10 de outubro de 1956) é um ator, dramaturgo, diretor, dublador, cineasta, escritor e apresentador de televisão brasileiro. É conhecido, entre outros muitos trabalhos, por interpretar Caco Antibes na sitcom Sai de Baixo e por apresentar o Video Show por mais de 15 anos. Foi carnavalesco das escolas de samba Império da Tijuca e Rocinha. Sua família tem ascendência portuguesa, italiana, espanhola, austríaca, alemã e suíça. É primo de 10º grau da atriz Malu Mader, 12º grau da também atriz Débora Falabella e primo de 6º grau de Artur Azevedo. Carreira: Desde pequeno, quando morava na Ilha do Governador, assistiu ao musical Hello, Dolly, estrelado por Bibi Ferreira, e se encantou pelo mundo da dramaturgia. Estreou na televisão em 1982, no programa Caso Verdade, no episódio "Jam e Jim", onde dava vida ao personagem título. Logo depois, participou de sua primeira novela, Sol de Verão, de Manoel Carlos, como o médico Romeu. Conquistou o sucesso em 1986, ao interpretar Miro, no remake Selva de Pedra, de Janete Clair. Estreou como apresentador de televisão no programa Vídeo Show em agosto de 1987. O sucesso foi tanto, que Miguel permaneceu a frente do programa até janeiro de 2002, quando foi substituído por Márcio Garcia, e este por André Marques. É um artista bastante ativo no teatro e na televisão. Nos palcos, além de musicais nacionais, costuma trazer a Broadway para o Brasil. Atuou no grande sucesso Loiro, Alto, Solteiro, Procura e escreveu também A Partilha, peça que ganhou versão para o cinema (com direção de Daniel Filho). Na televisão, dentre muitos trabalhos, alcançou grande popularidade apresentando o programa Vídeo Show durante 15 anos, e também representando Caco Antibes no humorístico Sai de Baixo. Sua ligação com a poesia e a escrita é forte. Participou de alguns CDs de poesia, e escreveu alguns livros. Foi também autor de várias crônicas publicadas em jornais e revistas, sua coleção mais famosa delas era intitulada Coração Urbano. Participou da série de comédia Toma Lá, Dá Cá, também na Globo, como o ex-surfista Mário Jorge, programa do qual assinava o roteiro, ao lado da amiga Maria Carmem Barbosa. A série foi cancelada em dezembro de 2009, as razões para o término das mesmas segundo o próprio Falabella, foram dele, que disse "Acho bom sair no auge". A série também deve virar filme. Com tradução e direção dele, estava em cartaz o musical Hairspray naquele ano. Em 2010 ele estreou na TV o seriado A Vida Alheia, sem plateia e gravado em externas. Segundo Miguel, o objetivo do programa em si não é de ser uma atração de humor, mas sim uma retratação da dura vida dos paparazzi, os repórteres fotográficos das chamadas revistas de fofocas. Em 2013 ocorreu a estreia do seriado Pé na Cova em que ele interpreta Ruço, o personagem e principal, e que também é roteirista da série. Segundo Miguel, ele acha que "a partir dos 50, e a morte vira uma realidade". Em fevereiro do mesmo ano ele declarou que Pé na Cova deverá ser sua última atuação na TV, e que também pretende deixar o teatro, já que prefere escrever. Em 2014, escreve a série Sexo e as Nêga, paródia de Sex and the City, que retrata a vida de quatro amigas de Cordovil, no subúrbio do Rio de Janeiro. Em 2017, além de retomar seu personagem Caco Antibes, sucesso em Sai de Baixo, desta vez, na Escolinha do Professor Raimundo, o ator vem trabalhando num romance sobre sua família, Sagrado Coração, tendo como personagem inicial seu bisavó, que deixou a Itália, mais precisamente a região da Basilicata, e embarcou por engano ao Brasil. No mesmo ano foi jurado do quadro "Show dos Famosos" no Domingão do Faustão ao lado de Cláudia Raia e Silvio de Abreu, e fez uma participação na série Cidade Proibida interpretando o colunista social Leon Mercier. Além disso, desde 2016, ele apresenta o quadro "Memória Nacional" dentro do Vídeo Show relembrando artistas já falecidos e com trabalhos marcantes na Rede Globo. Em 2018, Miguel será homenageado no carnaval carioca pela escola de samba Unidos da Tijuca, vizinha e co-irmã do Império, escola pela qual foi carnavalesco nos anos 90.