quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Tratamento de pé rachado


Esteticamente, é horrível. Este mal de calcanhares rachados atinge principalmente às mulheres e, em um estágio avançado, pode até ser doloroso. Denotam de falta de atenção e de cuidados com os pés ou pela falta de hidratação. Medicamente, calcanhares rachados são conhecidos como fissuras. As fissuras são feridas regulares de corte linear e afetam principalmente o nível de superfície, que compreende a epiderme. Às vezes, pode ficar profundamente na derme, que é quando tornam-se dolorosas. A pressão excessiva sobre a parte traseira dos pés fazem-nos querer expandir – se para os lados. Como a pele envolvendo as laterais dos pés está seca, ocorrem as rachaduras. Calcanhares secos e rachados também indicam falta de zinco e deficiência de ácidos ômega-3 gordos. Apesar das fissuras na pele poderem surgir em qualquer parte do corpo, o mais comum é na borda do calcanhar. A pele seca ou xerose, é uma das causas mais comuns que levam à calcanhares rachados. A outra razão chave é que a pele está espessa, ou há calos ao redor da borda do calcanhar. A maioria dos problemas nos pés surgem devido à negligência e descuido, mas podem ser facilmente evitáveis. Calcanhares rachados são prejudiciais? Calcanhares rachados não são prejudiciais, exceto quando as fissuras ou rachaduras são profundas e a pele começa a sangrar. Isso pode levar à infecção e é uma situação evitável principalmente para aqueles que já sofrem de doenças crônicas, como diabetes As rachaduras são uma ocorrência comum para os idosos ou pessoas que estão constantemente de pé, apoiando-se em seus próprios pés. Além disso, a produção de sebo diminui com a idade, e por isso os idosos tendem a sofrer com os calcanhares secos e rachados. Como tratar o calcanhar rachado Para tratá-los, aplique qualquer quantidade que queira de óleo vegetal hidrogenado, após lavar os pés. Depois de aplicar uma espessa camada de gordura sobre os pés e use um par de meias grossas. Deixe durante toda a noite e certamente terá resultados positivos em poucos dias. Outra alternativa é aplicar a polpa de uma banana madura sobre a área seca ou rachada do calcanhar. Deixe agir por 10 minutos e lave bem. Isto previne e trata. Também pode adicionar meio abacate ou a carne de metade da castanha de um coco e bater no liquidificador junto com a banana para formar uma pasta grossa e cremosa. Abacate e coco são ricos em vários óleos essenciais e vitaminas lipossolúveis. Esta pasta vai ajudar a fornecer à sua pele as vitaminas e óleos que necessita para ficar macia e bem hidratada. Outra dica é mergulhar os pés no suco de limão por cerca de 10 minutos. Siga esta terapia em uma base semanal até verificar uma mudança. O suco de limão é um ácido natural muito suave e ajuda a dissolver a pele morta e seca que pode então ser facilmente removida. O melhor é mergulhar os pés em uma solução de suco de limão e, em seguida, esfregar levemente com uma escova para esfoliar as camadas superiores que causam seca calcanhares rachados. E um regime diário de limpeza e hidratação é um bom remédio. No final do dia, mergulhe os pés em água morna por cerca de 15 minutos. Lave e seque. Faça uma mistura com uma colher de chá de vaselina e o suco de um limão. Esfregue esta mistura sobre os calcanhares rachados e em outras áreas dos pés até que seja completamente absorvido. Isso pode ser feito diariamente até que sejam obtidos resultados visíveis. É melhor aplicar esta mistura antes de ir para a cama. Use um par de meias grossas de lã para proteger a sua roupa de ficar manchada. Além disso, as meias de lã ajudam a prender o calor do corpo e isso vai aumentar a eficácia da mistura. Poderá esfoliar a pele antes e após o uso. Os óleos nesta mistura ajudam a amenizar os calcanhares secos e rachados e isso vai permitir que se livre facilmente da pele morta na manhã seguinte. Para quem sofre com o estágio mais avançado, aplique uma mistura de glicerina e água de rosas sobre os pés regularmente. Outra solução é derreter a cera de parafina e misturar bem com o óleo de mostarda. Aplique sobre a área seca ou rachada dos calcanhares. A aplicação contínua de 10 a 15 dias, pode alcançar os resultados desejáveis. Para se livrar da pele seca em seus pés, deve esfoliar os pés de forma regular. Evite o cosmético esfoliante. Em vez disso poderá fazer seu próprio: com mel, vinagre de sidra de maçã e farinha de arroz. Separe um punhado de arroz coloque num saco de pano e golpeie até chegar a farinha (tem que ficar um pouco grossa). Depois disso, adicione algumas colheres de mel, juntamente com o vinagre de cidra da maçã (o suficiente para obter uma pasta grossa). Se as rachaduras são muito profundas, pode adicionar uma colher de azeite de oliva ou óleo de amêndoa doce para a pasta. Mergulhe os pés por 20 minutos e, em seguida, deve-se massagear suavemente com essa mistura.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Chuvas


Durante o verão é quando acontecem as maiores chuvas no nosso país. Vemos por todo canto chuvas de grande intensidade e catástrofes. E embora tenham acontecido catástrofes causadas pura e simplesmente por chuvas de intensidade muito acima da média, em muitos casos as tragédias são responsabilidade de problemas no saneamento básico das cidades, por construções mal projetadas ou construídas em locais de risco.... Em primeiro lugar, o que é uma chuva acima da média? As medições dos índices pluviométricos começaram a ser feitas recentemente. Dependendo do país ou da cidade encontramos uma data diferente, mas em São Paulo e no Rio de Janeiro,...as medições se iniciaram apenas em 1943. Logo, a média considerada em todos os cálculos é a média calculada ao longo desses 68 anos. É realmente muito pouco tempo comparado à idade dessas cidades. Quando dizem que 2010 foi o ano o ano mais chuvoso da história, devemos entender que é o mais chuvoso desde 1943. O antigo recorde era do ano de 1947. Ou seja, é razoável assumir que houve muitos outros anos mais chuvosos do que 2010 ao longo da história

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Quais as metas para o próximo ano?


O fim do ano esta aí! É isso mesmo, falta pouco para começar 2018. E muitos já estão planejando como será o próximo ano e muitos ainda, pensando na meta do 1º trimestre de 2018. E você, já tem tudo planejado? Ou esta colocando em prática as suas metas que você fez lá no comecinho do ano…..Parabéns pra quem alcançou todas as metas de 2017 até aqui e para quem não alcançou, temos um ano inteiro pela frente, mas isso depende só de você!!! O ideal é ter em mente o que você quer atingir até dezembro: emagrecer, marcar a data do casamento, guardar dinheiro, viajar ou investir, etc. Estabelecer metas é importante para nossa felicidade, desenvolvimento e satisfação pessoal, para a realização dos nossos sonhos e também para manter a motivação sempre em alta. Agora vamos lá, as metas só são importantes e motivadoras quando são particularmente importantes para você. Se você não tem o real conhecimento da sua meta, acaba desmotivando no meio do caminho e tudo vai por água abaixo. Um outro ponto importante é você ter autoconhecimento e ter controle do seu tempo e de como você irá atingir essas metas. Analise se é uma meta possível até o fim do ano. Não adianta eu colocar uma meta de longo prazo em um curto período de tempo. Vamos usar o bom senso. Calcule em números e estipule datas. Faça uma simulação, para poder visualizar melhor, e opte por uma meta relacionada à assuntos pessoais, uma à carreira e uma à lazer. Isso vai te ajudar a ter um equilíbrio. Se quiser traçar apenas uma meta também é uma boa opção.

domingo, 24 de dezembro de 2017

O verdadeiro espírito de Natal


Eu estou pensando em você hoje porque é Natal, e eu lhe desejo felicidade. E amanhã, porque será o dia seguinte ao Natal, Eu ainda lhe desejarei felicidade. Eu posso não ser capaz de lhe falar sobre isto diariamente, Porque eu posso estar ausente, ou nós podemos estar muito ocupados. Mas isso não faz diferença. Meus pensamentos e meus desejos estarão com você da mesma forma. Qualquer alegria ou sucesso que você tenha, me fará feliz. Me iluminará por todo ano. Eu desejo a você o Espírito do Natal. Van Dike Nasceste no lar que precisavas. Vestiste o corpo físico que merecias. Moras no melhor lugar que Deus poderia te proporcionar, de acordo com teu adiantamento. Possuis os recursos financeiros coerentes com as tuas necessidades; nem mais, nem menos, mas o justo para as tuas lutas terrenas. Teu ambiente de trabalho é o que elegeste espontaneamente para a tua realização. Teus parentes e amigos são as almas que atraíste com tuas próprias afinidades. Portanto, teu destino está constantemente sob teu controle. Tu escolhes, recolhes, eleges, atrais, buscas, expulsas, modificas tudo aquilo que te rodeia a existência. Teus pensamentos e vontade são a chave de teus atos e atitudes, são as fontes de atração e repulsão na tua jornada vivencial. Não reclames nem te faças de vítima. Antes de tudo, analisa e observa. A mudança está em tuas mãos. Reprograma tua meta, busca o bem e viverás melhor. Francisco do Espírito Santo Neto

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Doenças dos olhos


1. Alergia ocular É uma inflamação dos olhos causada por uma resposta do sistema imunológico a uma determinada substância que o nosso organismo reconhece como perigosa, um alérgeno. A sua manifestação mais frequente é a conjuntivite alérgica, com carácter sazonal: 20% da população tem manifestações alérgicas. Causas: exposição a alérgenos que produzem reações alérgicas, sendo os mais comuns o pólen, os fungos, os pelos dos animais, os ácaros, os alimentos, etc. Tratamento: passa por prevenir as crises, melhorando as condições ambientais e evitando o alérgeno. Para aliviar os sintomas, pode aplicar-se um tratamento tópico (gotas oculares e pomadas oftálmicas antialérgicas, descongestionantes, e lágrimas artificiais) ou terapêutica sistémica em situações mais graves. Pode ser necessário o despiste do alérgeno por testes cutâneos ou outros numa consulta de alergologia. 2. Ambliopia Trata-se da diminuição da acuidade visual (conhecida como “olho preguiçoso”), uni ou bilateral, no contexto de um deficiente desenvolvimento da visão binocular, associado à presença de erro refrativo não corrigido, e/ou estrabismo, devido a mau acompanhamento oftalmológico na infância – 3% das crianças apresentam ambliopia/estrabismo. Causas: a anisometropia (o erro refrativo é diferente nos dois olhos), aniseiconia (a imagem de um objeto observada por um olho é diferente da observada pelo outro) e o estrabismo são responsáveis por grande parte dos casos. Tratamento: é primordial o acompanhamento de todas as crianças na avaliação do desenvolvimento da visão binocular desde tenra idade. O tratamento passa por correção com óculos, penalizações, ortóptica e cirurgia do estrabismo. 3. Astigmatismo Ocorre quando a córnea apresenta uma alteração nos eixos da sua curvatura, sendo os objetos focados em dois diferentes pontos da retina, resultando em visão desfocada (está presente em 20% dos míopes e hipermetropes). Causas: pode estar relacionado com herança genética. Aparece geralmente ao nascimento ou após um trauma ocular. Tratamento: o astigmatismo pode ser corrigido com o uso de óculos com lentes cilíndricas, lentes de contato ou cirurgia refrativa. 4. Blefarite É uma inflamação comum e persistente das pálpebras, quase sempre com o carácter crónico e cíclico. Afeta frequentemente pessoas que têm tendência a apresentar pele seborreica (pele oleosa e caspa) e produz secura ocular – 7 em cada 10 doentes que vão a uma consulta de oftalmologia têm problemas das pálpebras. Causas: infeciosas e não infeciosas. As primeiras são causadas por bactérias, vírus ou parasitas e as segundas estão relacionas com seborreia, alergias e causas tóxicas. Tratamento: medidas de higienização (limpeza do bordo palpebral, calor local, massagem suave da base das pestanas) e, se necessário, uso de pomada com antibiótico e lágrimas artificiais. 5. Catarata Consiste na opacidade total ou parcial do cristalino, lente natural do globo ocular, produzindo baixa de acuidade visual, visão desfocada e cores desvanecidas –está presente em 10% das pessoas com menos de 65 anos e é uma das doenças dos olhos mais comuns depois dos 85 anos (em mais de 60% das pessoas). Causas: a causa mais comum está associada ao envelhecimento. Pode ocorrer, no entanto, por outras causas congénitas, hereditárias, metabólicas, tóxicas e traumáticas. Tratamento: consiste na remoção cirúrgica do cristalino e da substituição deste por uma lente intraocular, permitindo uma recuperação importante da visão. 6. Conjuntivite Caracteriza-se pela inflamação da conjuntiva (membrana transparente que recobre o globo ocular e a parte interna da pálpebra). Esta inflamação pode ter um caráter agudo recorrente ou crónico sendo a forma aguda a mais frequente e que se acompanha de lacrimejo, comichão, ardor e sensação de corpo estranho. Esta doença dos olhos pode estar associada ou não a secreção mucopurulenta. Geralmente compromete os dois olhos, não necessariamente ao mesmo tempo. Nas conjuntivites de origem infeciosa (predominantemente de causa viral), o contágio é feito pelo contato direto com a pessoa doente ou objetos contaminados. Causas: infeciosas por bactérias, vírus, fungos ou parasitas e não infeciosas por causas alérgicas, mecânicas, iatrogénicas, ocupacionais e outras. Tratamento: a maioria das conjuntivites passa naturalmente, mas para diminuir os sintomas e o desconforto pode utilizar-se soro fisiológico gelado e compressas sobre as pálpebras, limpar os olhos com frequência ou, ainda, usar colírios lubrificantes e lágrimas artificiais. Por vezes é necessário, consoante o grau de severidade, o uso de colírios e pomadas oftálmicas antibióticas e/ou anti-inflamatórias. 7. Estrabismo Consiste num desvio ocular por perda da correspondência retiniana normal de um dos olhos, com perda do alinhamento. O desvio dos olhos pode ser constante ou intermitente. O despiste do estrabismo deve ser feito o mais precocemente possível, principalmente em crianças, devido ao desenvolvimento da visão binocular, de forma a prevenir o aparecimento da ambliopia estrábica. Causas: pode ser provocado por causas congénitas ou adquiridas. Tratamento: o tratamento pode ser clínico, ótico ou cirúrgico. É recomendado que se inicie o tratamento do estrabismo é recomendado perante o aparecimento dos primeiros sinais. 8. Hipermetropia É um tipo de ametropia que tem origem num globo ocular com comprimento axial curto e onde a imagem visual formada é projetada por de trás da retina – ocorre em 35% das pessoas com menos de 60 anos de idade). Causas: na maioria dos casos a hipermetropia tem origem congénita. Tratamento: corrigível com óculos com lentes positivas, lentes de contacto ou cirurgia laser. 9. Miopia É um erro de refração que afeta a visão à distância. É um tipo de ametropia que tem origem num globo ocular com comprimento axial longo em que a imagem visual não é focada diretamente na retina, mas à frente da mesma (ocorre em cerca de 20% da população). Pode apresentar três formas: simples, média e patológica. Causas: a forma patológica pode estar associada a causas hereditárias. Os novos estudos epidemiológicos apontam para um aumento da incidência da miopia, possivelmente relacionado com a acomodação induzida pelos sistemas informáticos e uso abusivo da visão central. Tratamento: a miopia é corrigível com óculos com lentes negativas, lentes de contacto ou cirurgia laser. 10. Olho seco É uma condição anormal da lubrificação da superfície do olho que se manifesta quando é produzido pouco fluido lacrimal ou pela alteração da composição do filme lacrimal. Causas: utilização de lentes de contato, exposição a ambientes com ar condicionado, vento, permanência em altitudes elevadas, uso de cosméticos, fumo de tabaco, poluição do ar, etc. Existem determinados medicamentos que podem provocar a redução de lubrificação nos olhos, como os anti-histamínicos, antidepressivos, diuréticos, anestésicos, anticolinérgicos e beta–bloqueantes. Pode ainda estar associado ao envelhecimento, pois em idades mais avançadas há diminuição da produção de lágrimas. Tratamento: deve ser feito não apenas para o próprio bem-estar do paciente mas para evitar a lesão da córnea. Devem usar-se colírios específicos (lágrimas artificiais) e, nos casos mais graves, é possível recorrer à oclusão da drenagem da lágrima, permitindo que elas fiquem em contato com o olho por mais tempo. 11. Terçolho ou hordéolo É a infeção de uma pequena glândula da pálpebra, podendo ser interno ou externo conforme a glândula atingida. Geralmente forma um pequeno nódulo palpável, doloroso e avermelhado que ocorre de forma aguda que se pode localizar no bordo da pálpebra ou na sua espessura. Os terçolhos são doenças dos olhos bastante comuns, particularmente em pacientes com inflamação crónica das pálpebras (blefarite crónica). Causas: a causa mais frequente é uma infeção bacteriana. Tratamento: na maioria dos casos, os terçolhos drenam espontaneamente em poucos dias, mas em casos graves ou recorrentes é preciso acompanhamento por oftalmologista. O tratamento pode incluir a aplicação de compressas quentes, várias vezes ao dia, de modo a facilitar a drenagem através do orifício da glândula. Em alguns casos poderá ser necessário recorrer a uma pomada com antibiótico. Nos casos mais resistentes, poderá ser necessário drenar o terçolho cirurgicamente. Colaboração: Rui Branco, coordenador da Unidade de Oftalmologia do Hospital Lusíadas Albufeira