quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Temporal provoca transbordamentos e deixa Itaquera e Aricanduva em alerta

Toda a cidade de SP está em atenção; chove pelo 44º dia seguido.
Temperatura cai 10 graus em apenas um hora na capital.



Chuva com raios atingiu a capital paulista na tarde desta quinta (Foto: Iberê Tenório/G1)

O forte temporal que atinge a cidade de São Paulo na tarde desta quinta-feira (4) provocou às 16h55 o transbordamento do Córrego Aricanduva, deixando as regiões de Itaquera e Aricanduva em alerta.



O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da Prefeitura, colocou toda a cidade de São Paulo em estado de atenção às 16h desta quinta-feira (4). Este é o 44º dia seguido que chove na capital paulista.

A temperatura caiu 10 graus em uma hora na capital paulista. Às 16h desta quinta-feira, fazia 32ºC no Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo. Os termômetros marcavam 22ºC no aeroporto às 17h, de acordo com dados do CGE. 

Segundo o CGE, às 17h, chovia forte nas Zonas Oeste, Leste, Sudeste e Centro. Também chovia forte em alguns bairros da Zona Sul, principalmente nos bairros de Santo Amaro, Campo Limpo, Jabaquara e Cidade Ademar. Nos demais pontos, chovia leve e de maneira isolada. Na Zona Norte, chovia forte exceto em Pirituba, Jaraguá, Perus e Tremembé, onde há apenas registro de chuva leve à moderada.

Havia às 16h55 cinco pontos de alagamento, sendo quatro transitáveis na Zona Oeste e um intransitável na Zona Sul -na Avenida Santo Amaro, na altura da Avenida Roque Petroni Junior.

O Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo, fechou às 16h06 para pousos e decolagens por causa do mau tempo. Os ventos chegaram a atingir 40 km/h. Às 17h10, o aeroporto continuava fechado. O Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, funcionava normalmente.

Segundo a Defesa Civil, estão em estado de atenção as regiões da Vila Prudente, Ipiranga, Jabaquara, Vila Mariana, Butantã, Lapa, Pinheiros e Sé. Itaim Paulista e São Miguel estão em estado de alerta para enchentes. Há risco de deslizamento na Casa Verde, Freguesia do Ó, Jaçanã, Aricanduva, Ermelino Matarazzo, Guaianazes, Itaquera, Penha, Vila Prudente, Ipiranga e Santana.

Por volta das 17h07, os bombeiros já tinham recebido algumas chamadas sobre quedas de árvores e pessoas ilhadas na capital paulista, mas não havia confirmação das ocorrências. Segundo a corporação, não havia relato de feridos.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrava 31 quedas de árvores nas vias da capital paulista por volta das 17h. Uma árvore bloqueava, no horário, a faixa da esquerda da Avenida dos Bandeirantes, sentido Marginal Pinheiros, na altura da Praça Carananduba.

As operações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) ocorriam normalmente às 16h50 desta quinta-feira, apesar da chuva forte. De acordo com a assessoria do Metrô, os trens operavam com restrição de velocidade em toda a Linha 3 (Vermelha) no horário.

Mortes
Na quarta-feira (3), três pessoas morreram na capital paulista por causa do temporal. Os bombeiros localizaram no fim da manhã desta quinta-feira (4) o corpo de uma mulher de 74 anos que havia desaparecido após a chuva desta quarta-feira (3) na região de Cidade A. E. Carvalho, na Zona Leste de São Paulo. O corpo da mulher estava em uma mata que margeia o Córrego Jacu-Pêssego. A água subiu muito por causa da chuva, mas o nível estava mais baixo nesta quinta.

Além dela, um homem de 75 anos morreu na Zona Norte, atingido por uma árvore no acesso à Ponte da Vila Maria. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o idoso chegou a ser levado com vida ao Pronto-Socorro da Vila Maria, mas morreu em seguida. Outra pessoa morreu na região central, no bairro do Pari, vítima de queda de raio, segundo os bombeiros.

As buscas por um menino de 11 anos, que também sumiu depois do temporal na região de Cidade A. E. Carvalho, continuam nesta quinta-feira.

Forte calor faz comentarista Batista desmaiar no Olímpico

Conheci o que é o apagão', brincou o ex-jogador, que, após atendimento médico, trabalhou normalmente na transmissão da partida do Gauchão
O forte calor que assolou a cidade de Porto Alegre na tarde desta quarta-feira fez com que o comentarista e ex-jogador Batista, do SporTV e do canal PFC, desmaiasse antes da transmissão da partida entre Grêmio e São Luiz, no Olímpico, pela sexta rodada do primeiro turno do Campeonato Gaúcho. Por volta das 16h15m,  durante o pré-jogo da TVCOM, emissora afliada à RBSTV, do Rio Grande do Sul, Batista, de 54 anos, não resistiu à alta temperaura de 37º C e ao sol da capital gaúcha.

Logo após o susto, o jornalista Maurício Saraiva, que estava no estúdio da emissora, tratou de tranquilizar os telespectadores, dizendo que Batista estava sendo atendido imediatamente pelos médicos presentes ao estádio. Logo depois de receber atendimento médico, pouco antes das 17h, horário da partida, o comentarista já participava normalmente do início da transmissão.


- Conheci o que é o apagão (risos). Estava muito quente, sem ventilador na cabine, e acabei apagando. Me disseram que fiquei 30 segundos fora do ar. Mas estou bem. Aferiram a minha pressão e está tudo normal – contou.
Richard SouzaPorto Alegre
globoesporte.globo.com/